Sedans Compactos – Versáteis para um país como o nosso

prisma

Sedan compacto derivado de hatchback compacto é algo que não existe na Europa Ocidental. Atitude louvável, uma vez que, se você quer um carro pequeno, que compre um hatch. Também não há sedans derivados de hatchbacks médios, como Astra sedan, Focus Sedan, 307 sedan. Estes automóveis não foram projetados para terem três volumes. Vide a estranheza do porta-malas saliente, especialmente no 307 sedan, no qual os vidros das portas traseiras são aproveitados do modelo dois volumes não havendo, portando, acompanhamento no caimento do teto, algo típico de carros de três volumes. Talvez o único sedan derivado de hatch com linhas mais harmoniosas seja o “Vectra” brasileiro que é derivado do Astra hatch europeu, vendido aqui como “Vectra GT” (bato palmas também para o C4 Pallas). Entre os menores a estranheza só aumenta: Siena, Pólo, Corsa Sedan, Clio Sedan (o pior de todos).

Mas deixemos de lado o absurdo de certos desenhos e pensemos um pouco em nossa realidade. Com a alta taxa de impostos que incidem sobre automóveis no Brasil, fica um pouco complicado ter um carro menor para atividades mais “urbanas” e outro maior para grandes viagens com espaço para bagagem e família. Um sintoma disso são os três lugares atrás em carros que, em seu país de origem, possuem apenas dois. Na Europa, as pessoas podem arcar facilmente com este custo, pois têm maior poder aquisitivo e os carros são relativamente mais baratos que aqui.

Então, como sanar esta carência? Fácil, pegue um carro compacto barato e “enxerte” um volume na traseira. Logo, o consumidor pode ter apenas um carro, que é versátil, de baixo custo e que, mesmo não tendo um espaço comparável aos de sedans maiores, possui um porta-malas razoável e, em alguns casos, até maior que de muitos sedans médios.

Minha opinião sobre sedans compactos mudou quando visitei uma concessionária Chevrolet e conheci melhor o Corsa Sedan e o Prisma. O primeiro possui 2,49m de distância entre-eixos e um porta-malas de 432 litros. Sendo assim, se mostrou um carro de espaço razoável e de porta-malas bem alinhado com a média dos três- volumes do mercado. O segundo foi uma surpresa para o meu pai. Ele ficou abismado com o tamanho do porta-malas em um carro tão pequeno: 439 litros para um carro de 4,12 m de comprimento (menos que os 4,28 m do “Vectra” hatch). Assim, temos carros com relativo conforto, tamanho para qualquer vaga e baixo custo, o que os torna perfeitos para o perfil de nosso mercado, onde os automóveis têm que fazer de tudo, cidade, estrada e, porquê não, fora-de-estrada.

Cabe lembrar que se a preocupação do comprador não for custo e sim melhor comportamento dinâmico e desempenho aliados a bom espaço para pernas e ombros, os hatchs e sedans médios ainda são a melhor opção, dadas as suas maiores dimensões, especialmente do habitáculo e a mecânica mais refinada. Mesmo assim, não há como negar a versatilidade desses pequenos sedans que cada vez mais mostram um desenho harmonioso, não parecendo, em alguns casos, derivados de hatchs. Vide o Prisma e sua bela traseira e lateral.
Share on Google Plus

Autor: Rodrigo Costa

Do ponto A ao ponto B, pensando na vida, no volante e tudo mais.

0 comentários:

Postar um comentário

Não concorda, nem discorda e muito pelo contrário? Comente aí!