Test Drive: Novo Gol Power 1.6


gol

Faz tempo desde a última postagem, mas procure compreender, nem todo blogueiro é desocupado e aqui no trabalho os “jobs” estavam se acumulando. Só agora deu uma sossegada. Agora sim posso passar para você como foi a experiência com o novo Gol.

Ao ver sua silhueta já deu para suspeitar de um fato que com o lançamento do Voyage se confirmou. Ao contrário de muito sedans que são derivados de hatches, o Gol nasceu do Voyage, pois este foi desenvolvido antes. O que chamou atenção para isso? O recorte das portas traseiras visivelmente vindas de um carro de 3 volumes (Vide o desenho muito mais harmônico no Sedan). Mas tudo bem, isto é um detalhe.


Ao entrar no carro, que surpresa! O Gol ganhou um acabamento digno dos primeiros “geração” 3. São plásticos baratos, porém, bem cortados e combinados de um jeito que o dono se sinta em um modelo de mais prestígio e preço. Arrisco até dizer que seu painel de instrumentos é um dos melhores do mercado atualmente (incluindo os importados na comparação). O modelo avaliado tinha até com computador de bordo entre velocímetro e tacômetro (item bem “salgado”, por sinal).
Mas nem tudo são flores. Os botões dos vidros dianteiros foram para a porta. Ótimo! Mas os botões dos vidros traseiros continuam no painel. Péssimo! Poderiam ter aproveitado a maçaneta do Polo (com quem o Gol compartilha a plataforma agora), que concentra todos os comandos na porta do motorista. A visibilidade traseira também ficou muito aquém do esperado. E a dianteira também (!). O painel ficou muito alto. Motoristas mais baixos se sentirão oprimidos, ainda mais com a posição de dirigir que continua muito baixa, mesmo com regulagem de altura.

Vamos ao teste. Minhas suspeitas se confirmaram. O Gol continua sendo um carro “na mão”, honesto e estável. Com a vantagem de agora ser silencioso e otimamente vedado. O câmbio está muito superior ao antigo e o motor não faz com que tenhamos saudades do velho AP. Está muito mais suave e progressivo (em parte por causa da ligeira melhora na relação R/L). A suspensão continua firme, mas sem ser dura. E o volante tem respostas rápidas. Se você gosta de dirigir e precisa pagar pouco, este é o seu carro.


E se você sonha com um Audi A3 e vai pagar cerca de R$ 110.000,00 por um modelo 1.6 (o de entrada), pense com carinho no Gol (custa menos de 1/3 do Audi) . Eles compartilham o mesmo motor, com a vantagem de o Gol ser mais leve e também rodar com álcool. Além disso, possui seguro e peças bem mais baratas que o médio da Audi.
P.S.: Gostaria de parabenizar a VW do Brasil por ser honesta com o consumidor e não chamar este modelo de “Geração 5”. Pois como todos sabem, esta se trata da terceira geração deste carro, que obteve duas reestilizações na geração anterior, que foi lançada em 1994.

Share on Google Plus

Autor: Rodrigo Costa

Do ponto A ao ponto B, pensando na vida, no volante e tudo mais.

1 comentários:

  1. Mentira.. vc passa dia todo vendo putaria e alguns carros no trabalho... E posso provar.. heheh

    Otimo post...

    ResponderExcluir

Não concorda, nem discorda e muito pelo contrário? Comente aí!